Cerveja Tupiniquim: o jeito brasileiro de criar cervejas especiais

09/09/2016 - Cervejarias

1.415 visualizações

Cerveja Tupiniquim: o jeito brasileiro de criar cervejas especiais

Ana Paula Komar
Jornalista, apaixonada por história, curiosa por culturas e apreciadora de boas cervejas!

Da nossa série de posts sobre as principais cervejaria do mundo, hoje faremos referência à Cerveja Tupiniquim, dona de vários prêmios e uma das principais cervejarias do Brasil, ela possui um jeito brasileiro de criar cervejas especiais.

Conheça mais sobre a cervejaria Tupiniquim

Em 2010, os cinco amigos Fernando, André, Christian, Alex e Márcio, que compartilhavam o interesse pelas cervejas artesanais, resolveram abrir a importadora Beer Legends. Até hoje ela existe, trazendo mais de 150 rótulos de todo o mundo para o Brasil. Contudo, fornecer cervejas para o mercado já não satisfazia os amigos que, com a expansão das cervejarias pelo Brasil, resolveram construir sua marca própria. E assim nasceu, em 2013, a Tupiniquim Cerveja Artesanal Brasileira.

cervejaria-tupiniquim2O Brasil está no nome, na bandeira e nas criações da Tupiniquim. Com o nome brasileiríssimo e com uma Arara Azul estampando a marca da cervejaria, seus rótulos não poderiam ser mais autênticos ao estilo “Made in Brazil”. Desde seu início, a Tupiniquim apostou em ingredientes, nomes e imagens tipicamente brasileiras para compor os rótulos da cervejaria. Caju, farinha de polenta, manga, os cangaceiros, monjolo – um artefato antigo utilizado para socar grãos – e outros fazem parte da busca da Tupiniquim em deixar suas cervejas com uma personalidade bem regional e única.

A luta pelo “abrasileiramento” harmonizando com a alta qualidade das bebidas, fez com que a cervejaria do Rio Grande do Sul, em pouco tempo, ganhasse várias premiações e reconhecimentos. No South Beer Cup de 2014, uma competição que envolveu 105 cervejarias de toda a América Latina e conhecida como a “Libertadores da América da Cerveja”, a Tupiniquim Extra Fancy e a Tupiniquim Anunciação ficaram, respectivamente, em primeiro e segundo lugar na classificação do estilo India Pale Ale (IPA). Já a Polimango garantiu à Tupiniquim o prêmio de melhor Imperial IPA. No estilo americano, conseguiram a prata com Lost in Translation IPA Brett, uma colaborativa com Jeppe Jarnit-Bjergsø, da dinamarquesa Evil Twin. O quinto prêmio foi para a Saison de Caju, que levou o bronze na categoria Ales belgas e francesas. O maior prêmio e coroação veio ao final da competição quando, com a soma dos pontos conquistados, foi anunciada a Tupiniquim como a “Cervejaria do Ano de 2014”. No ano seguinte, conquistou os prêmios de Melhor Cervejaria na Copa Cervezas da América 2015 e melhor cervejaria no Festival Brasileiro da Cerveja 2015. Um grande reconhecimento que é comprovado pela inovação e a qualidade na criação e no processo produtivo desta micro-cervejaria que, já com instalações próprias e seus quatro funcionários produz em média, 20 mil litros de cerveja brasileiríssima e de altíssima qualidade por mês.

Com um talento especial para a colaboração e a criação compartilhada, a cerveja Tupiniquim estreou uma parceria muito bem sucedida com a dinamarquesa Evil Twin, eleita pelo site Rate Beer como a 10ª melhor cervejaria do mundo. Desta colaboração, nasceram quatro cervejas: Evil Twin Big Bang Lager, Tupiniquim Extra Fancy, Tupiniquim Lost in Translation IPA Brett e a Evil Twin Metro Man. Nesta batida, criou mais duas cervejas (Tupiniquim Saison de Caju e a Stillwater Clássica Tropical) com a norte-americana Stillwater, e mais uma (Tupiniquim Polimango) com a sueca Omnipollo.

No site do Clube do Malte temos um departamento inteiro da Tupiniquim para você experimentar: www.clubedomalte.com.br/fabricante/tupiniquim

Deixe uma resposta