A Arte e as cervejas artesanais

15/03/2017 - Degustações e Reviews, Notícias

1.078 visualizações

A Arte e as cervejas artesanais

Luiz Guilherme Gomes

Uma das características mais interessantes no mundo das cervejas artesanais são as histórias e os conceitos que estão por trás de cada rótulo. Algumas histórias se tornam verdadeiras lendas que incorporam-se à identidade, ao “espírito” próprio de cada cerveja. E quanto uma cerveja tem toda uma ligação com a História e a Arte, degustá-la torna-se uma experiência ainda mais completa.

Uma história muito antiga, que começou lá pelos idos do século IV antes de Cristo, nos bastidores do império de Alexandre, o Grande, inspirou a produção recente de cervejas artesanais. Aconteceu que um pintor de nome Apeles, reconhecido como um dos mais talentosos daquela época, tornou-se o retratista oficial de Alexandre, o Grande. Este fato, naturalmente, provocou ciúmes e inveja em outros artistas e Apeles foi então alvo de intrigas e acusado de conspiração. Após provar sua inocência, Apeles pintou um quadro conhecido como A Calúnia, para demonstrar seu sofrimento. A totalidade das suas obras perdeu-se, mas, através de referências ou descrições, o pintor Botticelli tentou reproduzir A Calúnia de Apeles.

E foi neste quadro de Botticelli que a artista Irma Renault se inspirou para pintar sua Alegoria da Calúnia, obra de grandes dimensões na qual se destacam figuram em cores intensas capazes de chamar a atenção e causar estranhamento. Elemento central, a Calúnia aparece ali rodeada pela Inocência, a Inveja, o Sarcasmo, a Hipocrisia, a Má-Fé, a Pretensão e outras figuras que representam o comportamento humano.

E foi justamente nesta pintura de Irma Renault que a Krug Bier se inspirou para criar sua linha Expressionista de cervejas artesanais, cujos rótulos também se inspiram no comportamento humano. A Krug encomendou, inclusive, sua versão da famosa pintura, realizada pelo artista mineiro Rafael Resende, que escolheu uma abordagem mais caricatural e bem humorada para as figuras que foram transferidas para os rótulos das cervejas. A família já conta com Calúnia (APA), Sarcasmo (ESB), Inocência (Trippel), Rancor (IPA) e Remorso (RIS).

A sexta integrante da família, recentemente lançada, é a Pretensão, que no quadro é representada por um homem que traz nas costas asas de borboleta e voa sobre os outros, sem tocar o chão.  Apresentada em garrafas pequenas de champagne, rolhadas e numeradas, é uma Specialty Wood-Aged Beer que maturou em carvalho francês onde anteriormente havia whisky, com adição de baunilha. Com 11% de teor alcoólico ela nos remete ao próprio whisky, vinho e notas amadeiradas bem marcantes e à figura emblemática do quadro, na qual foi inspirada, como se ela, pretensiosa, não quisesse ser somente uma cerveja.

Realmente, muitas histórias inspiradoras podem nos ensinar muito sobre História, Arte, Cultura e cervejas artesanais.

Deixe uma resposta