A ousada escola cervejeira belga e suas peculiaridades

25/09/2017 - Notícias

1.713 visualizações

A ousada escola cervejeira belga e suas peculiaridades

Ana Paula Komar
Jornalista, apaixonada por história, curiosa por culturas e apreciadora de boas cervejas!

Como você viu no post anterior sobre a escola cervejeira alemã, as escolas cervejeiras são regiões que produzem cervejas há muitos anos, seguindo alguns critérios e parâmetros. São grandes nações que influenciaram a cerveja produzida no mundo todo. Para dar continuidade na nossa série de posts sobre as escolas cervejeiras, hoje trazemos um panorama geral sobre a ousadia da escola cervejeira belga e suas peculiaridades.

Ao contrário da escola alemã, a escola belga traz criações cervejeiras mais ousadas e se destaca pela criatividade e sabores complexos. Mesmo em um território tão pequeno a Bélgica possui mais de 200 cervejarias, quase 1000 marcas e dezenas de estilos próprios.

Com suas Ales bastante complexas, a Bélgica produz suas cervejas com uso de vários tipos de ingrediente, sejam eles outros cereais, ou até mesmo, frutas, condimentos e especiarias. Também se destacam por produzirem, de maneira geral, cervejas mais alcoólicas, com teor passando de 10% de álcool. Outra característica são seus aromas e sabores que vão do ácido, condimentado e frutado, ao adocicado e alcoólico, isso graças ao uso da levedura belga.

É na Bélgica também que estão seis dos 12 mosteiros trapistas, os quais produzem as famosas e mais cultuadas cervejas do mundo, são eles: Achel, Chimay, Orval, Rochefort, Westmalle e Westvleteren. Trapistas são cervejas produzida sob a supervisão de monges da Ordem Trapista, dentro ou nas proximidades do mosteiro e passam por um rigoroso controle de qualidade. Cheia de detalhes, no post “O que são as Cervejas Trapistas?” você confere tudo sobre essas preciosas cervejas. Além dos mosteiros trapistas, existem no país mais de 20 abadias que produzem cervejas.

A sofisticação também faz parte da escola cervejeira belga. Termos como Brut Reserve, grand Cru e Cuvée, são aplicados a algumas cervejas belgas, de acordo com sua origem e processo. Um exemplo é a cerveja DeuS Brut Des Flandres, produzida pelo método de champenoise, assim como um espumante francês.

Os estilos belgas mais clássicos são: Dubbel, Tripel, Quadruppel, Blonde Ale, Witbier, Fruit Beer, Lambic, Strong Golden Ale,  e Gueuze. Entre outras, suas principais marcas são Delirium, Leffe, Hoegaarden, Chimay e Duvel.

Deixe uma resposta