Mais uma para o lado de lá – Wicked Weed Brewing agora é AB InBev

09/11/2017 - Notícias

971 visualizações

Mais uma para o lado de lá – Wicked Weed Brewing agora é AB InBev

Avelar Júnior
Sommelier de cervejas direto da terra do Tio Sam

Em Maio deste ano, o mercado cervejeiro americano, estremeceu com a notícia de que mais uma cervejaria artesanal foi vendida para a AB InBev. Dessa vez foi a Wicked Weed Brewing, da Carolina do Norte.

Esta foi a décima aquisição da multi-nacional que, desde 2011, através da unidade de negócios chamada The High End, tem investido pesado no mercado de cervejas artesanais. Além da Wicked Weed, também fazem parte do portfólio da AB InBev, as cervejarias Goose Island (Chicago), Blue Point Brewing (New York), 10 Barrel Brewing (Oregon), Elysian Brewing (Seattle), Golden Road (Los Angeles), Breckenridge Brewery (Colorado), Four Peaks Brewing (Arizona), Devils Backbone (Virginia) e Karbach Brewing (Texas).

As reações, como era de se esperar, não foram nada positivas. Poucos dias após anunciar os novos proprietários, a Wicked Weed Brewing teve que cancelar o seu tradicional festival Funkatorium Invitational, após ter 49 cervejarias que desistiram de participar.  Além desta baixa, o site e revista Beer Advocate retirou o convite feito à cervejaria para participar do Festival Beer Meets Wood, em Portland, Maine.

A Wicked Weed produz excelentes cervejas e por isso as reações foram tão calorosas. Fundada em 2012, a cervejaria conseguiu saltar de um brewpub com 60 funcionários para quatro diferentes localidades, com 200 funcionários no total. Em apenas 5 anos a cervejaria produziu mais de 500 cervejas diferentes. Começaram com West Coast IPAs e Belgian Ales para posteriormente criarem uma renomada linha de sours.

Eu experimentei a Freak by Nature, excelente double IPA e umas das principais cervejas da Wicked Weed. Esta cerveja foi declaradamente inspirada na mitológica Pliny The Elder, da Russia Brewing Company. Usaram as mesmas variedades de lúpulo e dextrose (açúcar de milho), para proporcionar uma cerveja mais seca e com menor presença de malte. Segundo o mestre cervejeiro, o objetivo é criar uma cerveja em que você se sinta como se estivesse colocando o rosto em um saco de lúpulo.

A produção e distribuição da Wicked Weed aumentará consideravelmente. Mas será que as grandes inovações e qualidade serão mantidas, agora sob o manto da maior cervejaria do mundo?

Os fundadores garantem que sim. Mas só o tempo dirá.

Cheers 😉

Gostou? Confira mais textos do Avelar aqui!

Deixe uma resposta