Cinema argentino: pouco orçamento e muita qualidade

24/05/2016 - Prazeres Correlatos

832 visualizações

Cinema argentino: pouco orçamento e muita qualidade

Douglas Salvador

Fundador e CEO do Clube do Malte. Amante de viagens, cinema, charutos, tenis e claro, cerveja.

Quando a equipe de marketing me convidou para escrever para o nosso blog eu logo pensei: “Tomara Deus que não me peçam para escrever sobre tendências do mercado de cervejas”. Não que eu tenha algo contra. Pelo contrário. Mas é que não tem nada mais chato depois de um dia maçante de trabalho do que ficar falando da alta do dólar, da invasão de rótulos, da perda de incentivos fiscais, e por aí vai.

Aí eu disse: eu topo! Mas desde que eu possa escolher temas que eu goste.
Foi aí que eu pensei em fazer releases de filmes. Porque uma das coisas que eu mais gosto ultimamente é abrir uma cerveja e sentar para ver um bom filme com a minha mulher, depois de colocar a criançada para dormir.

Filme Argentino: Um Conto Chinês

Para estrear a coluna mais despretensiosa do nosso blog, eu vou começar com uma dica dos nossos hermanos – “Um Conto Chinês”, um filme argentino com o espetacular Ricardo Darin, um dos atores top five da minha lista.

No filme, de aproximadamente uma hora e meia, Darin é um comerciante recluso e cheio de esquisitices, que numa noite chuvosa encontra um imigrante chinês perdido no centro de Buenos Aires. Tocado por uma compaixão momentânea, ele resolve dar voltar e dar uma carona para o simpático chino. Desse inusitado encontro começa uma relação muito bacana de dois caras, que não falam absolutamente nenhuma palavra em comum. Entre idas e vindas e uma porção de cenas engraçadas, os protagonistas dão um show de carisma e entram numa roda gigante de autoconhecimento e mudança. Um Conto Chinês é um filme incrível que vale cada minuto.

Agora é só escolher sua cerveja e curtir esse clássico do cinema argentino!

Deixe uma resposta