Homenagem à minha pança: 9 harmonizações clássicas de cervejas e comida

07/06/2016 - Receitas e Harmonizações

1.467 visualizações

Homenagem à minha pança: 9 harmonizações clássicas de cervejas e comida

Douglas Salvador
Fundador e CEO do Clube do Malte. Amante de viagens, cinema, charutos, tenis e claro, cerveja.

Confesso que sempre achei o tema harmonização de cervejas um pouco irrelevante. Nunca achei que o produto cerveja devesse ser introduzido no mercado brasileiro com uma única associação, seja ela qual fosse. Cerveja é muito mais do que isso. Além de um bom prato, cerveja harmoniza com música, com poker, com futebol, com viagem, com amigos, entre tantas outras coisas.

Mas uma coisa é inegável: cerveja especial e boa culinária andam lado a lado. Quem aprecia uma cerveja especial aprecia também comida bem feita. E quem aprecia uma boa cozinha, se ainda não é apaixonado por cervejas, um dia será. É um caminho sem volta.

Decidi escrever esse post pensando naquelas pessoas que não se ligam muito nesse tema ou que acham isso um pouco de frescura. Eu já fui um cara assim. Quer dizer, talvez eu ainda seja. Mas isso também é irrelevante. De uma forma prática, o que eu acho é que seja ela por semelhança, contraste ou corte, uma harmonização só funciona mesmo quando o resultado do conjunto é melhor que as sensações individuais. Se você misturou e não agregou nada, é porque não deu certo. Não procure justificativas. O mais importante, para mim, é pensar nas duas coisas juntas. Pensou na comida? Já pensa no que vai acompanhar.

9 harmonizações clássicas de cervejas e comida:

cerveja-e-comida

Vou prestar uma homenagem aos 15 kilos que ganhei nos últimos anos, deixando aqui algumas dicas que eu já testei e sei que deram certo. Se liga:

  • BIFE DE CHORIZO x RED ALE: o tostado dos maltes avermelhados batem muito bem com o tostado da carne selada na grelha.
  • TILAPIA FRITA x BOHEMIAN PILSEN: leveza com leveza. Harmonização clássica que te permite comer o dia inteiro sem culpa e com muito sabor.
  • QUEIJO DE CABRA x IPA: os queijos caprinos tem uma característica picante que combinam muito bem com o lúpulo das IPAs. O amargor corta o after taste do queijo e tira o aspecto enjoativo.
  • CHEESECAKE x BARLEY WINE: o pefil maltado das barleys combinam muito bem com o amanteigado da torta. E o alto teor alcoólico potencializa o sabor das frutas.
  • HAMBÚRGUER x APA: a harmonização da moda no Brasil. O tostado dos maltes batem bem com o tostado da carne e a carbonatação e o perfil amargo ajuda a limpar a gordura do hambúrguer.
  • PETIT GATEAU x IMPERIAL STOUT: torrado dos maltes escuros combinam muito bem com o chocolate. E o alto teor alcoólico causa uma explosão de sabor e aquecimento.
  • MUQUECA BAIANA x IPA: lúpulo e pimenta foram feitos um pra o outro. O amargor corta a intensidade da pimenta, deixando espaço para o sabor do prato aparecer.
  • COELHO x WITBIER: tempere o coelho com um pouco de coentro. Você vai entender porque a witbier fecha tão bem com esse condimento.
  • CHARUTO x RAUCHBIER: o defumado dos maltes da rauchbier melhoram os sabores de madeira e couro presente nos charutos. Uma combinação onde as potências se equilibram muito bem.
    • Fala, lgdona!

      Quanto mais picante for a comida, mais lupulada e amarga deve ser a cerveja. O lúpulo consegue cortar bem o efeito das pimentas, permitindo que você consiga sentir melhor os sabores tanto do prato quanto da cerveja.

Deixe uma resposta