Cerveja Belga – conheça a sua ousadia!

29/07/2019 - Notícias

405 visualizações

Cerveja Belga – conheça a sua ousadia!

Fred Banionis
Homebrewer, sommelier de cerveja e produtor audiovisual. Amante de harmonizações e caçador de novas experiencias.

Neste post, no nosso papo sobre história, é a vez da cerveja Belga, ou como eu gosto de chamá-la, a escola da alquimia cervejeira. Os belgas são conhecidos principalmente por sua ousadia, completamente na contramão da escola alemã que vimos mês passado. Aqui, os ingredientes utilizados na cerveja são os mais diversos possíveis, podendo acrescentar à cerveja adjuntos como açúcar, coentro, cravo, pimenta, canela e até frutas! Também se destacam as famosíssimas cervejas Trapistas, feitas em monastérios de monges cistercienses, e as Lambic, cervejas ácidas de fermentação espontânea.

É comum cervejarias belgas terem aspecto de fábricas abandonadas, cheias de telhas quebradas, teias de aranha e outras coisas macabras, tudo isso para preservar o padrão das leveduras em suspensão, pois qualquer reforma pode alterar a microflora do local e arruinar séculos de tradição cervejeira. Para quem olha de fora, pode parecer algo feito sem nenhum cuidado, mas na verdade é o total oposto. As cervejas Lambic, depois da etapa quente da produção, são despejadas nas “naves de resfriamento”, tanques rasos e largos, onde a cerveja fica exposta tempo o bastante para receber os convidados Brettanomyces que pairam pelo ar tão cuidadosamente tratado. Essa levedura selvagem é que vai protagonizar a cerveja, conferindo suas notas ácidas. Após, a cerveja vai para tonéis de madeira onde irá fermentar por até anos. Durante esse tempo, pode haver adição de frutas, geralmente cerejas ou framboesas, que darão origem aos subestilos Kriek e Framboise. Essas cervejas, depois de fermentadas, maturam por vários anos, e um master blender é responsável por criar misturas entre as cervejas de diferentes idades e assim criar as Gueuze.

Mas nem toda cerveja belga é ácida, a exemplo das Trapistas, normalmente alcoólicas e adocicadas. Novamente temos muita história e tradição quando falamos dessas cervejas, sendo produzidas essencialmente para subsistência dos monges. São 100% produzidas dentro dos monastérios e normalmente em pequena escala. Tente comprar uma Westvleteren e vai entender do que estou falando!

Alguns estilos clássicos da bélgica incluem: Lambic, Kriek e Gueuze, entre as ácidas de fermentação espontânea; Dubel, Tripel e Quadrupel entre as cervejas trapistas; Witbier, Belgian Blond e Saison, entre as Ale.

Rótulos de destaque: Orval, Boon Mariage Parfait, Tripel Karmeliet e St. Bernardus Wit, todos disponíveis no Clube do Malte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O seu Blog da Cerveja Artesanal

O blog cervejeiro Cerveja de Todos os Jeitos foi criado por nós aqui do Clube do Malte com o objetivo de afunilar nosso vínculo com nossos leitores e trazer o melhor conteúdo sobre cervejas artesanais, estilos de cerveja, curiosidades, diferenças com a cerveja comum e notícias do mundo cervejeiro. Nosso objetivo é construir a maior e mais engajada comunidade de apaixonados por cerveja do Brasil, e acreditamos que o conhecimento é o primeiro passo para isso acontecer. Aqui é um espaço dedicado para falarmos sobre esta bebida milenar e nos aprofundarmos neste universo tão complexo, porém maravilhoso, que é o das cervejas especiais.
Com um leque tão grande de possibilidades entre os diferentes tipos de cerveja. Contudo, neste blog de cerveja você encontrará os mais variados assuntos e temas relacionados ao cenário cervejeiro do Brasil e do mundo. Aqui você encontrará conteúdos sobre harmonização com cerveja, roteiros cervejeiros, tudo sobre as mais famosas marcas de cerveja, entrevistas com cervejeiros e especialistas, homebrewing com dicas para cervejeiros caseiros, processo de produção de cerveja, entre vários outros no qual trabalhamos com toda dedicação e carinho para te deixar sempre bem informado e antenado. E tem mais, o que acha de ser nosso repórter cervejeiro e aparecer em nossa revista e aqui no Blog?
É simples, envie um e-mail para revista@clubedomalte.com.br com suas dúvidas sobre cervejas, ou dicas de conteúdos que gostaria de ver na revista e no blog. Ou ainda faça indicações de destinos cervejeiros que gostaria de compartilhar com os demais leitores, basta fazer um post em seu Facebook ou Instagram com a #meudestinocervejeiro contando sobre o seu destino preferido, ou se preferir, envie um e-mail para nós, que você poderá ser o repórter cervejeiro do mês. Cheers!