Quais as vantagens e desvantagens das cervejarias gigantes entrarem no mercado das cervejas artesanais?

06/02/2020 - Notícias

665 visualizações

Quais as vantagens e desvantagens das cervejarias gigantes entrarem no mercado das cervejas artesanais?

Clube do Malte
Beba menos, beba melhor!

Nos últimos anos o mercado cervejeiro no Brasil manteve crescimento em ritmo acelerado. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no Anuário da Cerveja no Brasil 2018, o ano fechou com 889 cervejarias, 270 a mais do que em 2017. Em 2019 esse número ultrapassou mais de 1000 fábricas de cerveja instaladas no país. Para se ter uma ideia da expansão do segmento, em 10 anos o número praticamente quadruplicou.

Isso aponta a rápida evolução do setor, que se manteve com uma média de crescimento de 30% ao ano. Dos 5.570 municípios brasileiros, 479 já possuem pelo menos uma cervejaria registrada.

Com o notável crescimento do mercado cervejeiro no Brasil, o número de consumidores aumentou potencialmente. E, como comportamento normal de mercado, quando algo começa a ganhar muito destaque, as já bem estabelecidas e grandes empresas ficam de olho para investir em nichos promissores.

Isso já aconteceu com diversas marcas cervejeiras, como foram os casos da Colorado, Wäls e até mesmo das gringas Leffe e Hoegaarden.

Mas nós queremos saber mais sobre a sua opinião em relação a isso. Para você, que é apreciador de brejas especiais, quais as vantagens e desvantagens que vocês vêem em relação as gigantes, como AMBEV e Heineken, injetarem dinheiro ou até mesmo comprarem cervejarias até então independentes? Que benefícios os consumidores podem esperar com essas movimentações de mercado? Você tem percebido alguma diferença nos produtos?

Coloca a sua opinião aqui nos comentários! 

  • Por incrível que pareça, acho bom.
    Com tanto que não mudem as receitas e continuem a incentivar na descoberta de novas receitas.
    Mais dinheiro entrando é mais cerveja saindo.
    O que melhoraria mesmo é o imposto sobre a cerveja reduzir pelo menos pela metade.

  • Não compro cerveja por status.
    Interessa qualidade e não o fabricante.
    Heineken não é nenhum anjo, como pensam os incaltos.
    Como a Ambev, visam lucro.
    As artesanais nacionais são mais caras que belgas e alemãs , não sao coitadinhas.
    Se for boa não interessa quem fabrica.
    Tem gente que aprecia “coca”, tem coisa pior ? Suco del Valle? ( cadê o suco ?)
    Se o camarada quer pagar caro, problema dele. Cerveja tem que ser boa , se puder ser mais em conta, melhor
    Agora se no futuro, as grandes fizerem só lixo,( Skool, Brahma, Amstell) pois não tem concorrência, é só voltar a fazer as artesanais. O mercado se auto regula.
    Cobrar caro não significa ter um bom produto.

  • Entendo da seguinte forma: Oportunismo puro.
    Depois de vários anos tomando só cerveja de qualidade duvidosa, as grandes fizeram a festa no mercado, dominando a oferta e os pontos de venda e acesso ao público.
    Com a abertura das importações, conseguimos encontrar novas marcas de cervejas, com sabores de qualidade e produtos com níveis superiores , deram azar devido ao preços caros, devido aos impostos..
    Depois o mercado fechou de novo e voltamos as grandes e tomando que era colocado no mercado.
    Na nova abertura, chegaram marcas e tipos de cervejas diferentes. Com elas, aulas/cursos de cerveja.
    O jogo virou. As grandes servem o comercio geral, mas as artesanais, surgem desses cursos e fomentam as pessoas a tomarem seu próprio produto e criarem cervejas personalizadas.
    Algumas artesanais, se tornam médias e começam a atrapalhar certos mercados de cidades pequenas, onde as grandes eram poderosas.
    Oportunismo aparece nesse caso. Comprar marcas rtesanais já famosas, fazem parte do mercado.
    O bom é que as artesanais vieram pra trazer sabores novos, qualidade, produtos diferentes e dar alternativa aos apreciadores de cerveja.

  • De cara, parece haver uma grande dicotomia entre o industrial e o artesanal. A produção em larga escala em nada combina com a experiência de se saborear uma receita exclusiva.
    No entanto, caso as grandes fabricantes ajam com respeito e seriedade, deixando um pouco de lado a sede do lucro máximo, é perfeitamente possível que se concilie os dois mundos. A popularização da cerveja artesanal não deve servir ao marketing e descaracterizar uma marca; ela deve se restringir exclusivamente em dois pontos: melhor distribuição e maior investimento.

  • Não sou a favor. O monopólio está muito grande, é as cervejas artesanais são uma opção a quem busca algo diferente além de favorecer os pequenos produtores. Monopólio não é bom para economia.
    Não tenho nada contra os grandes cervejarias, pelo contrário mas sou a favor dos consumidores.

  • O maior problema disso tudo é se eles mexerem na receita original , colocar um monte de porcaria ,esses conservantes que todos nós sabemos que eles usam , aí não dá prefiro a minha mesmo 100% natural.

  • Faz parte do “jogo”, isso acontece em todos os setores, cabe ao consumidor avaliar suas escolhas, assim como temos artesanais de qualidade duvidosa , temos as cervejas “mainstream” também de péssimas qualidades, o oposto também é verdadeiro. Vejamos a Wals claro que sua qualidade caiu um pouco, porém sua distribuição ficou ampla proporcionando para muitos conhecer essas e outras marcas. E quando o consumir de cerveja quiser ele sempre vai ter as artesanais de qualidade ali esperando para ser consumida, basta notar por exemplo a Zalaz que permanece intacta com seu padrão de excelência. Tem para todos os gostos e bolsos!

  • Com mais opções e preços mais em conta todo mundo ganha, exceto quem quer explorar o consumidor… se as grandes reduzirem a qualidade pra ter mais lucro, abrem mais espaço pras artesanais… e quem está acostumado com artesanais nunca vai deixar de experimentar as novidades, mesmo que custe um pouco mais caro (hoje já é caro). Acredito que é briga tem que ser pra facilitar pra quem quer empreender, inovar e produzir, principalmente as micro-cervejarias, e não dificultar o trabalho das grandes que nos dão muitas opções interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O seu Blog da Cerveja Artesanal

O blog cervejeiro Cerveja de Todos os Jeitos foi criado por nós aqui do Clube do Malte com o objetivo de afunilar nosso vínculo com nossos leitores e trazer o melhor conteúdo sobre cervejas artesanais, estilos de cerveja, curiosidades, diferenças com a cerveja comum e notícias do mundo cervejeiro. Nosso objetivo é construir a maior e mais engajada comunidade de apaixonados por cerveja do Brasil, e acreditamos que o conhecimento é o primeiro passo para isso acontecer. Aqui é um espaço dedicado para falarmos sobre esta bebida milenar e nos aprofundarmos neste universo tão complexo, porém maravilhoso, que é o das cervejas especiais.
Com um leque tão grande de possibilidades entre os diferentes tipos de cerveja. Contudo, neste blog de cerveja você encontrará os mais variados assuntos e temas relacionados ao cenário cervejeiro do Brasil e do mundo. Aqui você encontrará conteúdos sobre harmonização com cerveja, roteiros cervejeiros, tudo sobre as mais famosas marcas de cerveja, entrevistas com cervejeiros e especialistas, homebrewing com dicas para cervejeiros caseiros, processo de produção de cerveja, entre vários outros no qual trabalhamos com toda dedicação e carinho para te deixar sempre bem informado e antenado. E tem mais, o que acha de ser nosso repórter cervejeiro e aparecer em nossa revista e aqui no Blog?
É simples, envie um e-mail para revista@clubedomalte.com.br com suas dúvidas sobre cervejas, ou dicas de conteúdos que gostaria de ver na revista e no blog. Ou ainda faça indicações de destinos cervejeiros que gostaria de compartilhar com os demais leitores, basta fazer um post em seu Facebook ou Instagram com a #meudestinocervejeiro contando sobre o seu destino preferido, ou se preferir, envie um e-mail para nós, que você poderá ser o repórter cervejeiro do mês. Cheers!